Eu só quero isso

 

 

 

Até que a noite venha para nos acalmar,

Ainda teremos que suportar esse barulho

 

Só depois podemos conversar,

Saber como andam as coisas

Falar sobre o nada até que

Tenhamos nada para fazer

 

Olhar para seus olhos,

Respirar fundo, sentir a paz e

Deitar minha cabeça sobre seu colo

 

(7056)

No leito

 

estou cansado. minha cabeça está cansada. indefinição, expectativa e ansiedade. Penso em deitar sem ter hora pra acordar e quando abrir os olhos, que tudo esteja resolvido. com as devidas coisas nos seus respectivos lugares. da maneira que for melhor. da maneira que tiver que ser. 
isso não vai acontecer. já estou longe daqui, pensando em coisas que não deveria e querendo sentir o cheiro de mato molhado (daqueles que eu sentia quando criança ao correr pelo quintal de casa quando a chuva parava). querendo ver o Sol nascer e morrer sem a mínima pressa. sempre percebo novas pequenas belezas quando não estou com pressa.
preciso me deitar. minhas pernas estão cansadas e minha respiração sofrida. estou querendo me entregar como um bêbado se entrega à calçada que o abraça como uma mãe ao filho ou como um paciente em estado terminal se entrega ao outro lado ou como ela se entrega a mim.
sei que nessas horas a paciência é uma virtude e já não me preocupo com isso. sei que nessas horas a imagem diz muito e já não dou a mínima pro que vêem. estou cansado.
 (6111)
O tempo não pára

 

O tempo se esgota

Ansiedade de criança

Eu dentro da jaula

No ar artificial e condicionado

 

A vida acontecendo lá fora

Eu envelhecendo aqui dentro

Discutindo o sexo dos anjos

E outras verdades temporárias

 

Pela janela, o céu azul ri de mim

Calmo e paciente. Sarcasticamente.

Como um castigo ou um conselho

Ou um apelo

 

(6028)

Perdidos Imperdíveis

 

“Todas as pessoas estão perdidas e procurando algo, as que dizem o contrário, continuam perdidas, mas desistiram de procurar”

 

by Chaps

(5946)

Estranhos conhecidos

 

Engraçada essa relação

Essa cumplicidade

De conhecer a profundidade

A essência sem casca

 

Sentimentos não compartilhados

Senão por palavras escritas

Na pedra do mundo

Para o mundo todo

 

Se eu lhe encontrasse

Talvez não saberia

Seria estranha

Talvez já aconteceu

 

Longe do baú

Seria mais uma

Tão diferente quanto o resto

Tão fútil quanto o resto

 

Talvez por isso seja fácil

Tendo a distância como escudo

A transparência é amiga e

O julgamento já não fere

 

Seja sempre bem vinda

Ao meu quintal, meu jardim

 

(5909)

Saí Andando

 

Saí andando sem olhar para trás

Fixei meu olhar no horizonte

Pensei em recomeçar tudo

A vida toda

Do mais profundo sentimento

Não precisava mais daquilo

 

Olhei pra uma criança

Inocência

Lembrei de quando estava lá

Olhando para o mundo

Podia colocá-lo no bolso

Era invencível

 

Hoje estou aqui

Sem saber o que eu quero

Mas fugindo do que não quero

Assistindo a vida numa tela de cinema

Torcendo por um amanha de Sol

E sentindo saudades

(5887)

In the SKY

 

Sometimes I look up to the sky
Trying to find the stars
and all my dreams
During the night, alone in my mind,
I realize that I am in a place
that I dont belong, thats why

I am leaving oh yes I am leaving
to the other side, to the other life
to the place that I´ll be fine

People don´t know what I see
People don´t see what I feel
They believe there is only one way
to get there, and the others are not but
imagination and ilusion, that´s why

I am leaving oh yes I am leaving
to the other side, to the other life
to the place that I ll be fine

(5867)

Melancolia

 

Melancolia. Palavra que define dias como hoje

Cinza e chuvoso. Vontade do ócio

A gente pára, pensa, repara e NADA

 

Mesmo não tendo idéia de onde se quer chegar

Tomo ar, finjo que sou surdo e continuo

Busco as respostas no horizonte. NADA

 

Estranha vontade de estar em lugar nenhum

Pelo menos em nenhum lugar que eu posso

Olho para os diferentes tons de cinza. NADA

 

Penso nas pessoas que passaram

E nas que eu gostaria que tivessem passado

Penso em você. NADA

 

A janela é meu refúgio, minhas férias

Onde eu percebo que existe um mundo

E que é grande demais pra NADA

 

Vivo da idéia de um dia

Da esperança do futuro

Mas até agora NADA

 

(5811)

Na tampa

Bateu na tampa

Quando chega no limite, as coisas ficam feias. Bem feias

A paciência já não existe e a tolerância cai a zero

O pavio tá curto, a caixa cheia de pólvora e o fósforo aceso

 

Bateu na tampa

Não adianta perguntar, eles não fazem a menor idéia do que passa

Muito fácil correr o risco quando não vai escorrer sangue

Muito fácil julgar enquanto olhamos pelo buraco da fechadura

 

Bateu na tampa

Encheu o saco. Fechei a porta. Caguei.

A preocupação já não é mais minha

O que acontecer já é mera conseqüência

(5715)

Neblina

 

Antes era eu, agora não mais.

Ela não percebe. Não consegue enxergar.

O especial só foi assim porque não houve depois

Do mesmo jeito que começou, terminou.

Subitamente. Sem expectativas.

Só por isso.

 

(5607)

A cabeça a milhão

 

Hoje acordei com vontade de ver o mar. Cheguei até a sentir o cheiro da maresia. Depois percebi que era cheiro do calor que subia do asfalto quente. Só sei que preferia estar em outro lugar. Triste saber que grande parte do nosso tempo, preferimos estar em outro lugar e com outras pessoas. Não lembro se era loira ou morena, feia ou bonita. Já faz tempo. Sei que o beijo foi bom e queria outro daquele. Pensando bem, eu gosto muito dos que eu tenho. Cadê meus óculos? É verdade, eu não uso óculos, mas se usasse, eles iriam estar perdidos certeza. Queria saber o motivo pelo qual precisamos trabalhar em dias como hoje, com o céu azul, bem azul mesmo. Precisava fazer um doc, transferir o dinheiro da casinha. CPMF maldito. Que se foda, não estou aqui pra isso. Mas e aquela estória que você havia começado, mas não teve tempo pra terminar? E aquela vida que a gente brincava que queria levar? Enquanto isso, eu de terno e gravata. Deve ser bom não saber que dia da semana é e nem que horas são. Fazer com que a hora do almoço seja a hora da fome e a hora de dormir a do sono. Por que as pessoas querem falar uma mais alto do que a outra? Aqui está uma falação chata. Ainda bem que o D. Matthews está colado na minha orelha esquerda. O silêncio pra mim é tão bom quanto uma boa música. Pena que não podemos escutá-lo quando bem entendemos. Depois que eu publiquei o último texto e o reli, fiquei indignado com a baixa qualidade do mesmo. Desculpem-me. Estou pensando em tirá-lo. Preciso trabalhar melhor as idéias usadas. Eu escrevo melhor quando existe alguma coisa errada, e como no momento a única coisa que está errada é minha rotina, fica difícil sair alguma coisa boa “daquelas”. Pelo menos já é quarta-feira hora do almoço. Estamos no pico da semana, no meio entre o domingo que passou e a promessa do sábado que virá, se é que virá. Já sei que a quinta de ré é o lá e que a terça de lá é o dó sustenido, mas o que isso tem a ver com o resto? Não sei e não preciso saber, sei que isso me faz bem e que o resto já não me importa. Aliás, feliz ano novo pra quem é de direito.

 

(5592)

Se sim ou se não

 

 

Quando a gente atira / É pra acertar

Quando a gente cai / É pra levantar

Quando a gente ama / É pra valer

 

E por mais que você não acredite, “nada muda. Se sim ou se não, tanto faz. A distância é a mesma” e o sentimento verdadeiro

 

Direitos autorais mantidos.

Carpe Nunca

Era uma pessoa que vivia da nostalgia dos caminhos que não foram traçados. Que por algum motivo, foram substituídos. Relembrava as oportunidades que foram surgindo pela vida e que não foram alcançadas. Citava os sonhos que não tinham mais tempo para realizar. Ele ficava horas contando como seria a vida se ele tivesse feito isso ou aquilo e freqüentemente buscava culpados.

 

Ele não sabia que a vida é o que nós somos e que nunca é tarde para fazer. Lembro-me que quando comecei a ouvir as lamentações, sua saúde era invejável e dinheiro não lhe faltava. Acho que o ser humano tende a buscar culpados para suas próprias fraquezas. Nesse caso, o medo do desconhecido.

Terapia de choque

Uma conversa entre um menino com seus sete anos e o que parecia ser sua avó:

 

- Não jogue papel na rua!

- Por que não? Todo mundo joga.

- Se a polícia te pegar, eles vão te bater com pau, te prender por dias numa cela escura e fedida e você nunca mais voltará a ver sua mãe.

- Tá bom.

Crônica I - Eu sabia que não ia dar certo

 

Engraçado como as coisas acontecem. Eu sempre tive uma intuição boa, mas só lembro disso após não dar ouvidos a ela.

 

Sabe quando tudo parece perfeito? Planejado de uma maneira impecável e sem margem para erros? Pois é, e mesmo sabendo de tudo isso, você sente algo dizendo o contrário? É disso que eu estou falando.

 

Acabou de me ocorrer, se essa intuição não seria eu amanhã, após sofrer as conseqüências que as atitudes trouxeram, tentando desesperadamente me alertar sobre o fato, na forma de uma voz interior ou qualquer outra coisa parecida. Não, muito surreal.

 

Já sei! Talvez seja o sexto sentido que muitos falam e acreditam. Mas se fosse esse tal de sexto sentido, ele deveria vir acompanhado de luzes de néon, alarmes ensurdecedores, buzinas, aquelas cornetas vendidas em época de copa do mundo ou qualquer outra coisa que chamasse mais atenção do que uma simples coceirinha atrás da orelha.

 

Vou sugerir para algum escritor do gênero de auto-ajuda pra desenvolver esse tema. Aposto que o nome do livro seria alguma coisa do tipo: “Amplificando a Voz Interior”, “Vença com a Intuição”, etc.

 

Até chegar esse momento, terei que me acostumar com a sensação tardia da previsão, uma espécie de guru do passado.

 

(5498)

[ ver mensagens anteriores ]
Meu Perfil
BRASIL, Homem
MSN - rchapchap@hotmail.com